segunda-feira, 21 de junho de 2010

PelotAAAAAAAAAAAo do Vouga



10 Arautos pelos e um Amigo Dão Nelas picaram bilhete na estação do costume para iniciaram a terceira viagem da linha do Vouga. Engrenaram-se 11 carruagens de 2 rodas que se estendiam num longo comboio para começar uma nova expedição de BTT.



Arrancámos pelo nevoeiro da manhã a rasgar a neblina que nos trazia à recordação o rasto de outros épocas onde máquinas incomparavelmente mais pesadas deglutiam toneladas de carvão para pintarem o caminho que íamos fazer.



Encontramo-nos com o passado no apeadeiro de Bodiosa onde encarrilamos as tinitas no trilho que nos levaria a Sernada.



Depois do reencontro habitual com a nossa conhecida igreja das camélias atravessámos o primeiro de muitos túneis que se afiguravam nesta jornada.



Descemos a grande vapor até Negrelos em São Pedro do Sul onde nos esperava o primeiro reforço.



Na confluência dos Rios Sul e Vouga esconde-se o frondoso parque do lenteiro do rio onde um inoportuno arame quis fazer parte desta história.



Que o diga o pelo Casca que uma pedalada depois ficou sem o DropOut.



Alguns apertos depois estávamos de volta ao caminho que nos guiava até ao pastel mais conhecido de Vouzela.



No alto da ponte pedrinha encostados ao protagonista de muitas destas viagens acertámos os níveis de açúcar para subirmos os km que faltavam até ao almoço.



Em Oliveira de Frades esgotámos o stock de bifanas na Amazónia urbana desta vila que nos vê passar mais uma vez para a outra Beira.



Já a cheirar litoral deixamos a nossa Beira para nos concentramos na mais das bonitas eco-pistas que nos recebe em Paredela para nos transportar até Sever do Vouga.



Depois de cruzar o Vouga abrimos os flaps para planar até ao objectivo desta tirada.




Ás 16 horas lia-se Sernada do Vouga no gargalo de mais uma mini que empunhávamos em sinal de missão cumprida.



Na 2ª parte deste passeio outros argumentos se impuseram. Pimentos espanhóis, sardinhas da costa, um grande bolo de chocolate (parabéns à anfitria) e claro a nossa boroa trambela completaram o ramalhete perfeito para mais um convívio peludo que desta vez contou com a impagável simpatia do amigo Alberto do Dão Nelas que nos acompanhou nesta jornada.

Os agradecimentos do costume:
  • À Benedita e sua progenitora por nos aturarem mais uma volta.
  • Aos condutores de véspera que somaram mais 180 km de asfalto para nos trazerem o transporte de regresso a casa.
  • Aos anfitriões do Lanche/Jantar/Ceia que compôs o estômago depois do esforço.
  • Ao assador de serviço que não nos deixou de boca vazia.
  • Ao companheiro Alberto do Dão Nelas que não parou de tirar fotos.
  • Ao nosso Presidente, organizador do Passeio
  • E em especial ao César Augusto que não nos queria mandar embora.
E depois de degustarem a sinopse desta aventura deliciem-se com o resto das fotos nas galerias

PeloTeam
Dão Nelas

3 comentários:

Pêlo Renato disse...

Reportagem ao nível do dia que passamos.

Foi, de facto, um capítulo muito bom do nosso team.

Abraço

Serafim disse...

Malta no seu melhor!!!

A das minis no final é que não foi para todos. É pena! Fica para a próxima.

Rui Chaves disse...

Um bom dia e uma melhor noite!!!

Pelises